PORTAL UTP

Aluna do curso de fonoaudiologia é contemplada com bolsa do CNPQ para IC

Por Ana Maria Melech

 Com a pesquisa em Iniciação Científica: Parâmetros de Nasalância na fala de adultos nascidos e residentes em Curitiba/Pr, a aluna do terceiro período do curso de Fonoaudiologia da Universidade Tuiuti do Paraná, Ana Clara Gonçalves de Figueiredo, foi selecionada para receber a bolsa do CNPQ. Fato que demonstra o valor da ciência produzida também por alunos da graduação.  

A orientadora do projeto é a professora doutora Rita Tonochi que enfatiza a importância da Iniciação Científica como um dos pilares para produção científica. “ Apesar da Ana Clara estar no início do curso, este fato não inviabilizou sua curiosidade e maturidade como pesquisadora, o resultado foi a escolha de sua pesquisa para receber a bolsa do CNPQ”. 

O engajamento de Ana Clara ficou evidente no momento da entrevista, com desenvoltura a aluna explica quais foram os passos para iniciar seu caminho pela pesquisa, conta que tem muita curiosidade e que gosta de ler, influenciada por amigos entrou primeiramente no Grupo de Pesquisa para depois ingressar na Iniciação Científica. “ A IC ampliou a vontade de pesquisar mais, estudar mais e possibilitou o contato com o universo científico, com a escrita científica é muita responsabilidade antes de tudo” comenta Ana Clara. A aluna afirmou que ter ganho a bolsa foi um grande privilégio e muito importante para o seu currículo. Ela entrou na IC como voluntária, “ quando recebi a proposta da bolsa foi uma felicidade ter o CNPQ como financiador”. 

Para entender a pesquisa: Nasalância ocorre quando palato mole se abaixa permitindo que o ar passe através da cavidade nasal. Verifica-se uma escala de valores considerados normais de nasalância, a qual apresenta pontos de corte variantes de acordo com caracterização da fala produzida – oral, nasal ou mista. Essa escala é utilizada para classificação de hiper ou hiponasalidade. Para tanto, utiliza-se um equipamento, Nasômetro, cujo dispositivo é portátil e capta, a partir da produção de sons da fala (frases veículos), medidas de nasalância dos sujeitos submetidos ao exame nasometria. Desse modo, este estudo possibilitará averiguar, junto a trabalhos que tratam sobre medidas de nasalância, se essa sofre alteração conforme a região onde o estudo está sendo realizado e, a partir disso, investigar se a variação linguística regional é um fator determinante na medida de nasalância da população.